O “ide” pode ser cumprido onde você estiver!

O “ide” pode ser cumprido onde você estiver!

C.H. Spurgeon disse que “todo cristão ou é um missionário ou é um impostor”. A Bíblia toda é recheada de textos nos instruindo a ir, pregar, anunciar, proclamar, fazer discípulos, etc. O nosso Deus é um Deus missionário, é um Deus que envia. Ele enviou Seu Filho, o qual, posteriormente, nos comissiona, nos envia (“Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio.” – João 20:21).
Assim sendo, fica claro que em todo cristão deve arder a chama de anunciar a mensagem de Boas Novas de salvação.

Como cristã desde o berço e ainda mais como filha de Pastor, eu sempre ouvi falar de missões. Meus pais sempre consumiram literatura cristã, principalmente relatos e informativos missionários, e também sempre ajudaram financeiramente obras missionárias, em específico a Cruzada Mundial de Literatura e a Missão A Voz dos Mártires (atual Missão de Auxílio aos Cristãos Perseguidos).
Mais do que isso, eles, juntamente com meus avós, sempre deram exemplo através dos trabalhos de visitação e evangelização que realizaram durante longos anos no Hospital da Cantareira, no Hospital Municipal do Tatuapé e na Penitenciária Feminina do Tatuapé.
Até em coisas mais “simples” eles me dão exemplo. Nós não saímos de casa sem folhetos bíblicos a serem distribuídos onde quer que estivermos (lojas, em uma corrida de Uber e até para pessoas nas ruas). Parece pequeno, mas é uma forma de levar Cristo para as pessoas. Por diversas vezes eu pude ver a pessoa que recebeu tal folheto declarar que precisava daquelas palavras. Um até mesmo fez com que orássemos por ele em plena corrida de Uber!
Tudo isso porque a Palavra de Deus é viva! Ela penetra corações! Além do folheto, sempre há o espaço para falar um pouquinho da Palavra de Deus. Abra a sua boca, que Deus irá enchê-la (Salmo 81:10)!!!

Em minha vida pessoal já tive a oportunidade de participar diversas vezes de trabalhos evangelísticos na rua, levando a Palavra de Deus através de folhetos bíblicos, e por duas vezes fui cantar com um grupo de irmãs no Hospital Municipal do Tatuapé, compartilhando a Palavra de Deus através da música.
Também já tive a oportunidade de, juntamente com o auxílio de outros irmãos, organizar e realizar cultos específicos de missões em minha igreja local, visando divulgar o trabalho missionário e despertar outros irmãos a participar, orar e contribuir.
Atualmente, tenho a oportunidade de fazer parte da equipe de visitação da igreja, onde nos comprometemos a ir até a casa de algum enfermo, seja fisicamente ou espiritualmente, para louvarmos a Deus e semearmos um pouco da Sua Palavra. E graças a Deus, já pudemos colher frutos deste trabalho, vendo pessoas entregando suas vidas a Cristo. Tudo para honra e glória Dele!
Se Deus quiser e permitir, este é só o princípio de minha vida missionária. Há muitos desejos e planos em meu coração, os quais no tempo e direcionamento certo de Deus serão concretizados.

Com tudo isso, eu quero te incentivar a cumprir o ide de Cristo!

Às vezes nos apegamos naquela velha frase “Missões se fazem com os pés dos que vão, com os joelhos dos que oram e com as mãos dos que contribuem”. É uma bela e verdadeira frase, porém muitas vezes a distorcemos e no conforto do nosso lar nos fixamos somente nos dois últimos itens dela (orar e contribuir), pensando que o ir se refere apenas a outros povos, culturas e nações, e que não temos essa vocação.
De fato, há aqueles que são chamados para o trabalho transcultural, sendo enviados para outros países. Na Bíblia temos o exemplo de Paulo, que recebeu um chamado específico para pregar o evangelho entre os gentios (pode conferir em Romanos 11:13 e Gálatas 1:15 e 16).
No entanto, nosso papel de cristão é em todo lugar do nosso dia a dia ser luz e sal dessa terra através de nossas atitudes, nosso modo de falar e de nosso caráter.

Em II Coríntios 3:2, Paulo diz que somos a carta lida e conhecida por todos os homens. Ou seja, através de nossas vidas as pessoas devem ver Cristo!

Os “povos não alcançados” muitas vezes estão sentando na mesa com você nas datas comemorativas (seus familiares), estão na cadeira ao lado na sua escola ou universidade (seus amigos), estão no escritório ou empresa te vendo dia após dia (seus colegas de trabalho), ou estão perambulando sem destino pelas ruas (mendigos, viciados, órfãos, prostitutas, etc), todos carentes do amor de Cristo e da vida em abundância que Ele nos promete!!!

Em sua vida missionária, Jesus não somente quebrou as barreiras geográficas (Lucas 4:43), mas também as barreiras sociais, religiosas, étnicas e morais, seja jantando com fariseus (Lucas 7:36, 11:37, 14:1), curando cegos e leprosos (Lucas 18:35 a 43; João 9; Mateus 8:1 a 4; Lucas 17:11 a 19), ou transformando a vida de cobradores de impostos, tidos como ladrões, como Zaqueu (Lucas 19:1 a 10) e mulheres adúlteras (João 8:1 a 11). Ele veio para evangelizar os pobres, libertar os cativos e oprimidos e restaurar a vista aos cegos (Lucas 4:18 e 19).
O Rev. Hernandes Dias Lopes tem uma frase em que diz: “Às vezes nós atravessamos o Atlântico para ver uma conferência, mas não atravessamos a rua para falar do evangelho para nossos vizinhos”.

Por favor, entenda. Meu incentivo é que você não fique parado no “comodismo” de não ter um chamado para outras nações. Você deve compreender que a pessoa que está do seu lado já é o seu campo missionário!
Nem todos irão atravessar continentes, mas você pode ser um missionário na sua própria cidade, na sua própria vizinhança, na sua própria família, no seu próprio ambiente de trabalho, no seu próprio círculo de amigos.

Não há desculpas! O “ide” pode ser cumprido onde você estiver! Peça a Deus que lhe dê estratégias para cumprir a Sua ordem de proclamar o Evangelho e seja uma benção para aqueles que estão ao seu redor!

……………………………………………………………………………………………………………………..

A Talita mora em São Paulo, tem 26 anos e é advogada.
Ela ama ler livros e assistir jogos de vôlei!

Este post tem 2 comentários

  1. Deus te abençoe sempre, Talita.

  2. Amém, Elis 🙏🏼 Que Ele nos abençoe!!

Deixe uma resposta

Fechar Menu